Resenha: Sniper americano (american sniper)

americnanisper

American sniper (Sniper americano, no Brasil) é um filme de drama norte-americano de 2h12min (com estreia prevista no Brasil para 19 de fevereiro de 2015). Foi dirigido por Clint Eastwood, com atuação de Bradley Cooper, Sienna Miller, entre outros.

ATENÇÃO: PODE CONTER SPOILERS.

O filme, baseado em fatos reais, conta a história de Chris Kyle, um soldado e atirador de elite das forças especiais da marinha americanas na guerra do Iraque.

O filme começa mostrando Chris crescendo no Texas, recebendo conselhos de como se virar na vida com seu pai: que devemos sempre proteger uns aos outros, e que, se for possível, devemos partir para a agressão para consegui-lo. Em seguida, mostra Chris já adulto, cowboy e após pegar sua então namorada com outro na cara em sua cama, resolve que quer fazer algo de útil com a sua vida, e decide se alistar no exército. É aceito na marinha e passa por todo o treinamento. Conhece, então, Taya, com quem namora por um tempo até decidirem se casar. No dia do casamento, Chris é chamado para servir na guerra do Iraque e, três dias depois, ele vai para sua primeira viagem, pouco depois do ataque às torres gêmeas.

Lá, chegam em uma cidade evacuada e que todo cuidado é pouco, tendo em vista que as poucas pessoas que continuaram lá, com certeza os mataria. Logo de início, mata suas duas primeiras pessoas: um menino e sua mãe; ele vê, então, a mãe dando uma granada para o menino, e Chris se vê obrigado a atirar no menino, a mãe então finge que vai até o menino, pega a granada e atira pouco antes de Chris a matar. Chris se mostra arrependido, mas os colegas lhe consolam, dizendo que certas coisas são necessárias para salvar seus colegas e sua pátria. Seus amigos começam a chamá-lo de “lenda”, por ser sempre tão certeiro nos seus alvos, ajudando a salvar seus colegas e derrotar o inimigo. Chris, então, liga e conversa com sua mulher, que está grávida e pede para que ele retorne para casa. Em uma reunião com seus colegas, é dado o nome de seu principal inimigo, a “cabeça” de Al Qaeda: Arkawi, que passa a ser a maior prioridade do exército americano, e eles teriam de invadir casa por casa até achá-lo ou achar alguém que o conheça. Cansado de ver seus homens mortos, Chris resolve sair de cima dos prédios em que “vigiava” seus companheiros e resolve descer e ajudá-los a bater de porta em porta. Entra, então, na casa de um morador da cidade e diz que um homem perigoso, soldado número um de Arkawi o ameaçou; Chris promete ajudá-lo e protegê-lo, mas que precisa de um nome, endereço, qualquer coisa que consiga fazê-los chegar ao homem. Pouco depois de sua esposa ligar para Chris para contar que está esperando um menino, eles são atacados pelos terroristas e pegam a família do homem que prometera proteger: torturam seu filho pequeno, e Chris sobe para um telhado para tentar matar o atirador e o torturador, mas não consegue agir e o pai do menino é morto quando tenta avançar para salvar seu filho. O terrorista então, diz “falem com eles, morrem com eles”, vai embora e o atirador consegue fugir.
Chris volta para casa, mas fica com medo todo o tempo de sair de casa, paranóico, mesmo sem querer confessar para sua esposa. Sua esposa fica desconfiada, e após uma consulta ao médico para verificar o bebê, ela pede que a médica verifique a pressão sanguínea do marido, que fica extremamente irritado; ao tentarem voltar para casa, sua esposa começa a entrar em trabalho de parto, e logo em seguida dá a luz a um bebê. Mas logo depois do nascimento do filho, Chris tem de voltar para a guerra. No aeroporto, reencontra seu irmão que estava também na guerra. Ao chegar no Iraque, encontram uma família, interrogam-nos mas nada dizem; apesar de tentarem parecer formidáveis e oferecendo jantar, Chris descobre um esconderijo nessa casa com armas, bombas, etc e diz que caso esse homem não os leve até o líder do grupo, que ele seria preso. O homem concorda, leva-os até uma casa e bate na porta mas logo depois pega uma arma para disparar contra o exército americano, e acaba sendo morto.  Começa um ataque então do exército americano contra os soldados de Arkawi, mas os líderes acabam escapando.  Chris retorna à sua casa, novamente, e fica presente no nascimento de sua filha, passa um tempo com seu filho e até recebe agradecimentos de uma vítima que salvara, mas logo tem de retornar ao Iraque.

Assim que chegam, logo são atacados pelos terroristas. Um soldado é morto e Biggles é atingido no rosto e conseguem salvá-lo, sendo submetido a cirurgia. Dizem, então, que agora é “olho por olho” e, quando vão invadir outra casa, acabam caindo em uma armadilha e um amigo de Chris, Marc, acaba sendo atingido por um tiro no rosto e falece.  Eles retornam para os Estados Unidos para prestar homenagens à Marc e Chris vai visitar Biggles, que conta que finalmente conseguiu propor à sua namorada, mas que está com medo; Chris diz que voltará para o Iraque e que irá fazê-los pagar pelo que fez, mas Biggles pede que ele não volte. Sua esposa também diz que ele não deve voltar, mas Chris diz que não desistirá. Ao voltar pro Iraque, seu amigo Dandridge diz que Biggles não resistiu a uma outra cirurgia e faleceu. Eles recebem a missão de matar o atirador inimigo, não importa o que aconteça. Chris sobe com alguns companheiros em um telhado para tentar matar e após resistência de seus colegas, consegue finalmente matá-lo, atirando de uma distância de mais de uma milha e consegue matar o atirador. Porém, os soldados do atirador vão de encontro aos soldados americanos, e começa um intenso tiroteio. Como se não fosse o suficiente, começa também uma terrível tempestade de areia. São enviados caminhões do exército para buscar os soldados, e Chris, apesar de ter sido atingido na perna, consegue ir de encontro e se salvar.  Chris retorna à sua casa, dessa vez definitivo, mas encontra vários problemas em conseguir se estabelecer e fica terrivelmente perturbado. Após tentar atacar o cachorro, um médico diz que ele está mentalmente instável. Chris diz que desejaria ter continuado para salvar mais de seus homens, e o médico diz que ele deve tentar salvar as pessoas que estão no hospital, muitos deles ex-soldados. Chris consegue, então, estabelecer-se novamente em sua casa, feliz com su a esposa e seus filhos, e continua trabalhando e ajudando ex-soldados. Até que um dia, Chris é morto por um veterano que sofria de estresse pós traumático e tentava ajudá-lo. Chris recebeu todas as honras por ter servido o país e foi considerado herói.

Minhas considerações:

Confesso que não sou muito fã de filmes de guerra, mas esse é de tirar o fôlego! A história, sempre bem realista, mostra a realidade desses soldados nesta guerra, perdendo amigos, deixando família, etc. A atuação de Bradley Cooper é excelente e conseguiu, mais do que contar a história, fazer quem está assistindo sentir na pele a emoção. Avaliação: 6/10

Anúncios

Deixe sua opinião, crítica ou elogio.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s