Resenha: Carol

carol1

Carol é um filme de drama co-produzido entre Reino Unido e Estados Unidos de 1h58min (tendo sua estreia em 14 de janeiro de 2016). Foi dirigido por Todd Haynes, com atuação de Cate Blanchett, Rooney Mara, Sarah Paulson, Kyle Chandler, Jake Lacy, entre outros.

ATENÇÃO: PODE CONTER SPOILERS.

O filme começa mostrando a vida de Therese, uma jovem moça que estava trabalhando numa loja de brinquedos no Natal. Até que chega Carol, uma mãe que estava a procura de brinquedos para sua filha. Rola um clima entrelinhas entre elas, e elas voltariam a se encontrar. Carol acaba esquecendo suas luvas e Therese manda junto na entrega como brinquedo. Carol liga para agradecer e convida Therese para jantar. É aí que elas não se desgrudam mais: começam a sair regularmente para jantar e se divertir. Carol conta que está em processo de divórcio com seu marido mas as coisas são complicadas porque também envolve sua filhinha, Rindy. Já Therese, ela diz que vive junto de seu amigo, que insiste em querer pedi-la em casamento, mas que ela não está preparada para isso. As duas ficam cada vez mais próximas, até que um belo dia o ex-marido de Carol diz que ela deveria viajar no natal com ele e a filha deles, mas ela diz que ficará em casa. Ele rebate e diz se isso tem a ver com Abby (uma ex-companheira de Carol que ela teve enquanto ainda estava casada com seu ex-marido) e ela diz que não, que apenas quer ficar sozinha e tranquila. Na véspera de natal, seu ex-marido vai até sua casa buscar Rindy. Chegando lá, ele encontra Therese junto com Carol, e aí ele diz que isso é comportamento inaceitável e que ela deveria ter melhorado disso. Carol diz que ela é apenas uma amiga. No dia seguinte, ela recebe a notícia de que seu marido está lutando na justiça para ficar com a guarda de sua filha porque, segundo ele, sua ex-esposa tem comportamentos imorais.

Carol fica indignada e decide, então, sair para relaxar e decide viajar com Therese. O que ela não sabe, é que seu ex-marido contratou alguém para a seguir e ver o que ela estava fazendo. Em uma parada antes de chegar no hotel, elas conhecem um cara que tenta, a todo custo, vender qualquer objeto para elas. Chegando no hotel, elas acabam se relacionando e, no dia seguinte, descobrem que tinha uma escuta dentro do quarto. No mesmo momento elas voltam para a pousada anterior para encontrar o vendedor, e ele diz que não fez nada demais, apenas o que tinha sido “contratado para fazer”. Carol fica arrasada porque seu marido não deixaria mais ela ver Rindy. No dia seguinte ela volta para casa e deixa Therese sozinha, que acorda com Abby no quarto dizendo que estava lá para a levar de volta para casa. Voltando para casa, Therese encontra seu companheiro que antes de ela ir viajar, tinha dito que ela voltaria para casa porque ela iria ser abandonada – ele tinha reclamado, também, que com ele ela nunca quis viajar, inclusive quando ele tinha pedido para ela ir para Europa com ele. Ela volta e diz que vai continuar trabalhando como fotógrafa, que era sua paixão. Durante um tempo ela tenta contato com Carol, que simplesmente a ignora.

Após um período, entretanto, Carol decide que não vai mais esconder quem ela é e numa reunião com seu advogado e seu ex-marido, diz que ele pode fazer o que ele quiser, mas que ela quer pelo menos visitar Rindy. Ele fica indignado porque quer que ela volte com ele, mas ela volta para Theresa. Acaba, por fim, indo novamente atrás de Theresa e dizendo que elas deveriam ficar juntas.

carol 2

O filme é suave do começo ao fim, mostra com extrema delicadeza o relacionamento uma com a outra e o relacionamento delas com pessoas de fora. A atuação de Cate é espetacular e ela, de certa forma, leva o filme inteiro nas costas. Não que o filme não seja bom, ele é excelente, mas é um pouco parado e devagar demais. Algumas coisas superam isso: a fotografia é linda e bem gostosa de se ver. O figurino é sensacional, bem como a cenografia. O roteiro, apesar de ser um pouco parado, é extremamente bem escrito e nos faz sentir todos os sentimentos das atrizes. A direção faz com que a gente se sinta no lugar delas, lutando apenas para se manterem juntas e espalhar o amor. Não tem muitos detalhes a serem analisados, mas o filme te toca e o achei ótimo. Avaliação: 8/10

carol3

Indicado ao Oscar nas categorias:
Melhor Atriz | Melhor Atriz Coadjuvante | Melhor Roteiro Adaptado | Melhor Fotografia | Melhor Figurino | Melhor Trilha Sonora


Acompanhe também Cinema em Cadernos no Facebook.

Anúncios

Deixe sua opinião, crítica ou elogio.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s